quarta-feira, 1 de maio de 2013

A primeira corrida é inesquecível [Débora Nicola]

O post de hoje não é meu! O relato de hoje é da minha grande amiga, Débora Nicola, que começou a correr no mês passado:



A primeira corrida é inesquecível!

A corrida entrou na minha vida através dos amigos e conhecidos.
Eu nunca vi a corrida como um esporte que eu gostaria de praticar. Achava uma besteira imensa, ficar correndo, correndo, correndo... cansando à toa. Achava um esporte besta e sem sentido. Um pré-conceito absurdo.
Sempre preferi a bike. Estar com uma turma, poder ir longe, fazer trilha, speed. Ser livre. E mesmo não pedalando tanto quanto gostaria, meu amor pela magrela sempre falou mais alto. Eu não conseguia ver outra atividade física sem ser o pedal. Pra mim não tinha sentido.
Com o tempo, fui percebendo as conquistas dos amigos, os grupos de treino, as fotos, os vários obstáculos sendo superados. A felicidade de terminar a prova (e sentir-se realizado (a)). Eu observava tudo isso e ficava cada vez mais encucada.
Por causa do meu joelho, tive que parar bastante com todas as atividades: pedalar, caminhar, jogar bola. Diminuir o ritmo. E a corrida nem fazia parte disso. E a maior tristeza foi ouvir do médico: “Se você operar o joelho, não poderá mais pedalar”. Nesse dia, chorei como criança no colo da minha mãe. Pensei: seu eu não pedalar, o que vou fazer?
Parei com tudo. Voltei a ser sedentária. A ter uma vida sem graça, a mesma rotina entediante. Trabalho, faculdade, casa.
Depois de tanto relutar e ter uma opinião formada sobre o que é correr, decidi prestar mais atenção. Observar os detalhes das corridas, dos atletas, ouvir relatos. Decidi abrir minha mente e deixar o preconceito de lado. Passei a olhar a corrida como uma atividade coletiva. Correr não significa estar sozinho. É possível correr em dupla, trio, equipe.
O primeiro passo para isso foi achar um lugar onde eu pudesse começar com calma, sem vergonha de começar caminhando e depois, passar para a corridinha nível soft baby, rs. E fiquei muito mais surpresa: perto de casa, tem um parque. Ele tem uma pista para caminhar e correr. Eu fui fazer um teste. Detalhe: eu não tinha tênis de corrida. Coloquei meu velho all star (e dá-lhe dor no joelho depois). Fiz um breve aquecimento e entrei na pista. Comecei caminhando, passei para uma caminhada mais pesada e comecei na corrida leve. Estava no meio do percurso (por volta dos 600 metros), quando parei. Neste exato momento, dois senhores passaram correndo por mim. Eles diminuíram o ritmo e disseram: Força minha jovem! Nos vemos em breve na São Silvestre! Confesso que caiu uma lágrima. Aquilo foi um baita incentivo para continuar.
Depois disso, não caminhei e nem corri mais. Entrei num período de correria doida por causa de x fatores.
Eu acompanhava de perto o progresso dos amigos. Treinos, corridas, competições. Aquilo foi me deixando cada vez mais animada e empolgada para voltar a tentar correr.
Num dia de inspiração, mandei uma mensagem para o Ismael perguntando qual é o melhor tênis para correr. Ele riu e disse: Asics.
Pois bem, lá foi eu ver duzentos sites, milhares de modelos (queria o mais básico, nada de pisantes que parecem holofotes). Encontrado o tênis perfeito, comprei. E foi uma emoção enorme escolher um tênis para correr. Fato inédito na minha vida!
Quando ele chegou, eu parecia uma criança. Rasguei o pacote, abri a caixa e dei um sorriso imenso quando vi meu novo companheiro! Coloquei no pé e fiquei com ele até a hora de dormir. Isso foi numa quinta feira. Eu queria que já fosse sábado para testá-lo.
Sábado, acordei cedo e determinada a ir correr. Me vesti e agora, com tênis adequado para praticar corrida.
Comecei no mesmo ritmo: aquecimento, caminhada leve, caminhada pesada e corrida. E fiquei extremamente feliz: consegui fazer 5 km. Chorei de tanta alegria e de saber que sou capaz.
A primeira corrida é inesquecível. É perceber que limites podem ser superados, preconceitos podem ser desfeitos e acima de tudo, saber que seus amigos te incentivaram, te apoiam e comemoram junto com você cada conquista.
É uma alegria sem tamanho. É sentir-se livre também, aquela adrenalina correndo por cada canto do corpo. Uma realização pessoal imensa.
E foi assim que decidi superar obstáculos. Correr até meus limites serem superados.
O dia da minha primeira corrida será comemorado junto com todas as outras que virão por ai.

É isso aí Débora!!! Vamos sempre te acompanhar nesse novo mundo de foi aberto para você. Sucesso em seus novos KM's!

Nenhum comentário: