terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

USP Limita corridas de rua no Campus SP

usp3

Talvez seja a última vez que você verá uma foto como essa

Divulgado recentemente em vários meios de notícias (Blogs,rádio,internet e jornais), a USP agora limitará as corridas de rua durante o ano. Não sei como, mas até a presente data, foram liberadas somente 9 provas. Corridas como a Mizuno 10 Milhas, Ecorun, Fila Night Run e Reebok10K estão de fora. Estas foram (na minha opinião) as melhores provas de 2009 (das 25 provas realizadas no Campus no ano passado).

"A finalidade do campus estava desvirtuada. Aqui não é parque público. E não havia regras", diz Cristina Guarnieri, responsável pelas relações institucionais da coordenadoria.

Com esta medida, 16 pedidos de realização de provas foram negados. Os motivos da coordenadoria para tal ação são que as corridas atrapalham as atividades da USP nos fins de semana, como laboratórios e hospital, e prejudicam o entorno da instituição, dificultando a locomoção no campus e o trânsito na região, na zona oeste da cidade.

Untitled-1

Mesmo restritas, algumas corridas de rua ainda serão realizadas na USP este ano. Ao menos 9 provas já foram liberadas (Uma por mês, conforme determinação da coordenadoria da USP), porém haverá limitação de 6 Mil pessoas por prova (Um absurdo, visto que as provas mais badaladas chegam a reunir de 15 a 25 mil corredores).

Haverá também aumento da taxa para a liberação do local do evento. Antes, eram R$ 6.000 por hora; o valor foi mantido e haverá mais R$ 1 por participante. As provas cobram cerca de R$ 70 de inscrição. Creio que com estas medidas os valores das inscrições (Que, quando realizadas na USP, já não são tão baratas assim) provavelmente vão aumentar mais ainda por conta destas imposições.
A verba arrecadada irá para limpeza e manutenção da instituição. As restrições para corridas é mais uma medida na tentativa de controlar o uso do campus. Neste mês, foi anunciada a adoção de carteirinhas para esportistas e limitação de horários.
As medidas foram aprovadas antes da posse do novo reitor, João Grandino Rodas (a decisão não precisa do seu aval) e serão aplicadas logo depois do carnaval.

As reclamações de alguns organizadores foram noticiadas pelo Bol Noticias:

"A cidade é carente de espaços para corridas. Há uma demanda cada vez maior de pessoas querendo praticar esportes", diz Tomas Dreyfuss, diretor da promotora Vetor, que teve quatro pedidos negados.
"Não há espaço como a Cidade Universitária", diz Eduardo Gayotto, que teve cinco pedidos negados e um aceito. Só o campus, afirma, tem "relativa segurança", espaço para estacionamento e bom percurso.

Os organizadores já buscam outros locais para a realização dos eventos. Provavelmente os percursos já batizados (Como o entorno do parque do Ibirapuera, as ruas do centro, as proximidades do estádio do Pacaembu, o Jóquei Clube e as ruas da zona norte) terão seus calendários inflados este ano com a mudança dos locais de prova. Em paralelo, estranharemos bastante algumas provas com o mesmo nome e locais totalmente diferentes, e provas que historicamente eram realizadas dentro da USP (Como a Fila Night Run) terem seus percursos alterados radicalmente (Fora do Campus, provavelmente).

Talvez isso possa ser até positivo, pois irá levar a procura de novos locais para realização de provas, com bairros mais afastados do grande centro urbano (Que já existe em uma ação pioneira do secretário Valter Feldman, como o circuito das corridas de rua da cidade de São Paulo) e o maior (e melhor) uso das vias urbanas da Cidade.

Sou a favor da transformação das áreas urbanas nos finais de semana. Como o fluxo de automóveis é reduzido consideravelmente, poderíamos sonhar com circuitos inteiramente inusitados nos sábados e domingos, com a criação de “áreas de lazer e práticas esportivas” de final de semana, como alguns sentidos de grandes avenidas e ruas serem convertidas em espaços de recreação, espaços dinâmicos para uma grande metrópole que carece cada vez mais de áreas de lazer e que podem ser utilizados de formas diferentes em finais de semana e feriados.

E você, quem você acha que saiu no prejuízo nesta decisão? Os Atletas? A Coordenadoria? deixe um comentário logo abaixo, pois todos tem o direito de concordar ou discordar deste importante assunto.

Fontes:

4 comentários:

Fabiana disse...

Olha e como eu já disse 2010 será meu recorde de treinos,porque provas vejo que esta ficando dificil ser corredor "amador"

Bons Kms

Fabi =O)

felipepm disse...

A Fila Night Run teve as incrições abertas e será na USP, utilizando a Av. Escola Politécnica. Acho que a reitoria da USP cedeu (ano de eleições, será???), uma vez que no dia 02 a maratona de SP passará por lá e os 25km dessa prova terá o fim na USP. Já não vale a regra de 01 prova por mês. Para maio ainda tem a tradicional 25k da corpore que sempre foi na USP, e a nova prova "circuito athenas" da iguana. Abs, Felipe.

Anonymous disse...

Prezados Corredores


A proibição de provas na USP é resultado da incompetência das empresas organizadoras.
Sou a favor do esporte, mas empresas como a Iguana recebem muito dinheiro com uso de uma área pública e sem dar a devida organização.
Numa prova noturna, os organizadores da Iguana orientavam os participantes a pararem os carros em cima da calçada e em frente a garagens.
Tivemos o retorno de uma aula de campo e tivemos que esperar 3 horas para guardar o ônibus e nenhum organizador da Iguana apareceu para dar satisfação ou ajuda.
Os monitores que estavam abaixo do prédio da Geologia, em frente aos bancos, tinham uma postura arrogante e antipática, com ironias frente ao nosso problema.
Face a esse procedimento, como da Iguana e seus monitores, é que não vem sendo permitido mais esse tipo de prova na USP.

Paulo Boggiani

Ismael Paulo Santos disse...

Excelente colocação Paulo,
Em vários casos vemos somente o ponto de vista do corredor e acabamos não notando o resultado pós prova, como os gramados que são danificados pelas assessorias no pós-prova também.
Poderia surgir a partir desta idéia uma integração entre o proprietário do local de concentração e a empresa organizadora. Talvez com a melhor integração entre estas duas entidades será possível um melhor ambiente para todos.